quinta-feira, 15 de março de 2012

ABRAÃO, o peregrino espiritual

 

Introdução. O estudo da vida de Abraão é importante porque ele foi escolhido por Deus

para converter-se no pai de uma nova nação espiritual. Foram plantadas sementes em

seu coração das quais brotaram resultados maravilhosos para todos os crentes do futuro.

Foi um grande líder espiritual.

Seu chamado. Enquanto vivia com o pai em Harã, recebeu uma mensagem do Senhor

que o intimava a separar-se das antigas companhias e ir para outro país. Foi-lhe

prometida graça divina, grande prosperidade e que se converteria em bênção para todas

as famílias da terra.

Abraão obedeceu ao chamado e assim tornou-se o líder dessa inumerável família de

crentes que têm conhecido a nação cujo arquiteto e construtor é Deus, Gn 12:1-4; Hb

11:8-10.

A maioria dos acontecimentos importantes do curso de sua vida tem relação com suas

viagens. O mapa mostra alguns pontos importantes de suas jornadas (v. 4318).



 

I. De Ur a Harã, Gn 11:31: morte de seu pai, Gn v. 32

II. De Harã a Siquém, 12:1-6: aparição divina, v. 7

III. De Siquém a Betel, 12:8: edifica um altar e faz uma oração

IV. De Betel ao Egito, 12:9-11a: nega que Sara seja sua esposa, v. 11b-13

V. Regresso a Betel: faz uma oração, 13:1-4

VI. De Betel a Hebrom: edifica um altar, 13:18

VII. De Hebrom a Damasco: persegue os ladrões, resgata Ló e recupera seus bens,

14:1-16

VIII. Regresso a Hebrom: dá dízimos a Melquisedeque, 14:16-20; a promessa de um

filho é reiterada, 15:3-5; nasce Ismael, 16:15; o pacto é renovado, 17:1-8; recebe novo

nome, 17:5; intercessão por Sodoma, 18:23-32

IX. De Hebrom a Gerar, 20:1: cumpre-se o pacto, com o nascimento de Isaque, v. 1-3

X. De Gerar a Berseba: faz pacto com Abimeleque, 21:27-34

XI. De Berseba ao monte Moriá: constrói um altar, e Isaque é preparado para ser

oferecido em sacrifício, 22:1-14

XII. Regresso a Berseba, 22:19

XIII. De Berseba a Hebrom: sua morte e sepultamento, 25:8-10

Eventos e experiências notáveis de sua vida

O chamado divino, Gn 12:1.

O pacto divino, Gn 12:2,3; 17:1-6.

A demora divinano cumprimento da promessa de um filho (comp. Gn 12:4 com 21:5).

Passam-se mais de vinte anos até Isaque nascer.

Seu grande erro, Gn 16:3 — o plano de Sara para “ajudar” ao Todo-Poderoso.

Sua intercessão pelas cidades da planície, 18:23-32.

O cumprimento de suas esperanças no nascimento de Isaque, Gn 21:5.

A difícil prova, Gn 22:1,2.

Sua fé e obediência extraordinárias, Gn 22:3-10.

Sua maior necessidade é suprida, Gn 22:11-13.

Características de Abraão: v. 14.

Ver tb: Gn 11:27, Gn 11:31, Gn 12:1, Gn 13:1, Gn 13:12, Gn 14:14, Gn 15:1, Gn 16:3,

Gn 17:1, Gn 18:10, Gn 20:1, Gn 21:2, Gn 22:1, Gn 23:2, Gn 24:1, Gn 25:1, Gn 25:6,

Gn 49:31, 2Cr 20:7, Ne 9:7, Sl 105:6, Is 51:2, Mt 1:2, Mt 8:11, Mt 22:32, Mc 12:26, Lc

1:73, Lc 13:16, Lc 13:29, Lc 20:37, Jo 8:39, Jo 8:56, At 3:13, At 7:2, At 7:32, At 13:26,

Rm 9:7, Rm 11:1, Gl 3:6, Gl 3:16, Gl 4:22, Hb 6:13, Hb 11:8, Tg 2:23, 1Pe 3:6

Google+ Followers

Seguidores